Caminhos da 6° Semana Social Brasileira na Diocese de Bonfim

POSTADO EM 16 de Julho de 2021

No sábado, 10 de julho, a Pastoral Social da Diocese de Bonfim realizou seminário virtual da 6ª Semana Social Brasileira (SSB). O encontro contou com a presença de 43 participantes, entre os quais, representantes das pastorais, organismos e movimentos sociais, alguns padres e o Bispo diocesano. 

O seminário tratou do tema da 6ª SSB, “Mutirão pela Vida: por Terra, Teto e Trabalho”, iniciando com as palavras de Dom Hernaldo, que acolheu a todos e todas. Na sua fala trouxe a reflexão sobre a multiplicação dos pães, do capítulo 6 do Evangelho de João. Focou a importância simbólica do CAMPO VERDE onde Jesus mandou o povo se sentar. O campo, dizia, é como a MESA DAS REFEIÇÕES. Quem senta à mesa é o dono, quem serve à mesa é o escravo/servo. No texto de João os pobres se sentam, Jesus e os discípulos são os servos/escravos.

A seguir houve um explanação da Alessandra Miranda, Secretaria Executiva 6ª Semana Social Brasileira, (CNBB) fazendo memória dos trinta anos da Semana Social, que se iniciou na França em 1990 e que se concretizou no Brasil com a Primeira Semana Social em 1998. A longa história foi resumida na simbologia do girassol que busca sempre a luz do sol.

Disse ainda que “A 6ª Semana Social Brasileira (6ªSSB) inicialmente planejou as ações presenciais entre 2020 e 2022 e amplia os processos dos Mutirões pela Vida até 2023. A crise gerada pela pandemia de Covid-19 e outros aspectos sociopolíticos, implicaram nos processos de metodologia e dinâmica de formações propostas pela 6ª SSB, com os temas: Terra, Teto e Trabalho, assim como nos eixos estruturais: Economia, Democracia e Soberania.

Após a fala de Alessandra, houve uma socialização das três semanas sociais na Diocese, complementações e em seguida algumas encaminhamentos, como:

 

  1. Fortalecer a pastoral social da Diocese – chamado direto; fortalecer através do questionário para as paróquias; reunião virtual com coordenações de pastorais – após tabulação do questionário;

  2. Mobilizar por município - Semanas Sociais municipais e paroquiais, onde for possível – e incentivar a realização das Assembleias paroquiais com participação da org. da 6ª Semana social; articular mais pessoas e grupos a partir de quem já está neste processo;

  3. Elaborar um questionário a partir do planejamento/orientações do nacional

  4. Fazer um folheto informando e motivando seminários temáticos - trabalhar a cartilha com os grupos; pastorais; organizações; comunidades;

  5. Realizar lives com a temática da SSB;

  6. Motivar no DNJ (que acontece em outubro) a temática da Semana social; Incluir nos subsídios, como o material de preparação da Missão; Grito dos Excluídos; Dia Mundial dos/as Pobres – Semana Social como guarda-chuva;

  7. Fortalecer a Comissão – Representantes das pastorais e movimentos – PJMP – Aderbal;  PJR – Gilmário; + ARESOL; CACTUS; EFAS – Célio e Cidinha CPT; Movimentos Sociais: MPA Edvagno; CETA: Crispim e Otaviano; direcionar a convidados/as estratégicos) – Comissão propor;

  8. Reunir com prefeitos dos municípios onde for possível;

  9. Propor às escolas incluir conteúdos nos programas;

  10. Agendar um momento virtual com todos os seminaristas da Diocese;

  11. Pautar nos programas e entrevistas nas rádios


A comissão da SSB agendará uma reunião para demandar um planejamento. Alessandra Miranda se dispôs a ajudar com a metodologia de planejamento

 


© Copyright 2021. Desenvolvido por Cúria Online do Brasil